Conflito no grupo sanguíneo durante a gravidez | pangudownloads.com
Eu sou a mamãe!

Conflito no grupo sanguíneo durante a gravidez

Ao ser registrada com a consulta de uma mulher, a futura mãe recebe várias orientações para os testes. Uma das análises é a determinação do grupo e do fator Rh não só da gestante, mas também do marido.

Conflito no grupo sanguíneo durante a gravidez

Se antes a ênfase principal estava em determinar o fator Rh para evitar o conflito Rh, agora eles estão tentando minimizar a possibilidade do surgimento de um conflito imunológico por grupos sanguíneos. A incompatibilidade surge porque o grupo sanguíneo 1 tem anticorpos α e β em sua composição, e nos glóbulos vermelhos dos antígenos A e B remanescentes. Quando os antígenos estranhos se encontram, eles começam a destruir os eritrócitos estranhos. Existe um conflito sobre o grupo sanguíneo.

Condições perigosas

Vale a pena ter medo de incompatibilidade no grupo sanguíneo durante a gravidez, se a mãe e a criança tiverem as seguintes combinações:

  • no grupo do feto IV - a mãe tem todo o resto;
  • no feto II - na mãe I ou III;
  • no feto III - na mãe I ou II.

Quase sempre há uma condição perigosa se uma mulher com o grupo sanguíneo de I desenvolver um feto com II ou III. Com a gravidez repetida, essa combinação requer observação obrigatória, pois há risco de hemofilia do recém-nascido.

A compatibilidade dos grupos sanguíneos durante a gravidez é mais difícil de alcançar para as mulheres com grupo I, independentemente dos fatores Rh. Se um homem pertence a outro grupo, então já existe um alto risco de um conflito imunológico.

Conflito no grupo sanguíneo durante a gravidez

Mulheres com outros grupos têm compatibilidade com homens de sua "categoria" e possuem o grupo I.

Atenção especial deve ser dada às futuras mães que no passado já tiveram abortos ou gestações pouco desenvolvidas, têm filhos com patologias: retardo mental ou doenças do aparelho circulatório. O risco de uma condição perigosa aumenta em mulheres que tiveram transfusões de sangue no passado.

Grupo sanguíneo negativo e positivo na gravidez

Acredita-se que, se o grupo sanguíneo da mãe é negativo, ter gravidez é sempre problemático. Isso está longe de ser o caso.

Se ambos os parceiros não têm uma incompatibilidade no fator Rhesus ou no sangue da criança e a mãe Rhesus é a mesma, não há conflito, e o bebê pode ser tolerado sem complicações - deste lado.

Não há problemas quando a mãe tem um status positivo e o feto tem um status negativo.

Conflito no grupo sanguíneo durante a gravidez

Se a situação se inverte, as mães podem começar a produzir anticorpos para a destruição de proteínas estranhas e uma ameaça de interrupção da gravidez.

O tratamento é necessário. Interromper o conflito Rh ajudará na injeção de imunoglobulina anti-D. Apesar do fato de que durante a gestação de nenhum meio médico tentar não prescrever, tais medidas terapêuticas são necessárias para estabilizar a condição. A terapia não tem efeito negativo sobre o desenvolvimento fetal.

Se a gravidez foi bem sucedida, mas as medidas terapêuticas necessárias não foram tomadas, o processo iniciado pela produção de anticorpos continua após o nascimento do bebê.

Existe uma doença hemolítica, em que o trabalho do sistema hematopoiético é interrompido.

Conflitos por grupos sanguíneos

A doença hemolítica em um recém-nascido também ocorre com o desenvolvimento de um conflito imunológico por grupos sanguíneos. Mas - ao contrário do rhesus do conflito - esse estado aparece com muito menos frequência. A partir da penetração de anticorpos protege a corrente sanguínea do feto a barreira placentária. O risco de penetração de proteínas estranhas aumenta durante o parto.

Suspeita do conflito imunológico ocorre se o recém-nascido tem anemia, edema visualmente visível, exame de ultra-som observa que o fígado e o baço estão aumentados, a gelatina não passa por muito tempo.

Conflito no grupo sanguíneo durante a gravidez

Para prevenir a doença hemolítica imediatamente após o nascimento, uma mulher com Rhesus negativo ou um grupo sanguíneo positivo, se não houver tratamento durante a gravidez, retira sangue de um grande vaso do cordão umbilical para análise. Descobrir o estado da criança e comparar com o estado da mãe, ao mesmo tempo, determinar o nível de bilirrubina.

Se necessário, o tratamento é prescrito. Às vezes o sangue fetal de um bebê é realizado durante o primeiro dia em poucas horas para determinar mudanças durante o período de adaptação na dinâmica.

Grupo especial

Os ginecologistas observam com muito cuidado as mulheres com grupo sanguíneo IV negativo durante a gravidez.

Como os portadores desse grupo são raros o suficiente - especialmente em combinação com um fator Rh negativo -, um conflito imunológico geralmente ocorre. Se a incompatibilidade se revelar do mesmo começo, então a observação estabelece-se imediatamente e com os primeiros sintomas da incompatibilidade com o embrião, a terapia necessária começa.

No entanto, ela só pode ter sucesso na primeira gravidez - os médicos desse grupo de sangue com fator Rh negativo não aconselham os médicos a testar o destino e tentar engravidar novamente. A incompatibilidade ameaça não só a saúde do bebê, mas também de sua mãe, e o parto repetido pode acabar com seus sérios problemas.

Conflito no grupo sanguíneo durante a gravidez

No entanto, ninguém pode proibir uma mulher de dar à luz, e se desde o início ela foi registrada e o status é controlado na dinâmica, há uma probabilidade de um nascimento saudável do bebê. Verdade, se um bebê é uma mulher, a oportunidade de dar a ele "sangue perigoso"Está aumentando.

As mulheres precisam saber!

Toda semana de gravidez tem um grande papel no desenvolvimento de conflitos imunológicos ou Rh.


Quanto mais tarde uma condição perigosa é revelada, mais anticorpos se acumulam no sangue, o que significa que, mesmo após o parto a tempo, a criança pode desenvolver uma doença hemolítica.

No nível moderno do desenvolvimento da medicina, é possível realizar o tratamento na fase intra-uterina - o feto pode fazer uma transfusão de sangue antes mesmo do nascimento.

Na presença da síndrome de Rh, o regime terapêutico é projetado para ser automático, o que permite que uma mulher tenha um bebê saudável.

O conflito imunológico no fator de grupo ainda não é totalmente compreendido, mas com a detecção oportuna de um estado perigoso, é possível tomar as medidas necessárias. Além disso, a probabilidade de desenvolver uma condição perigosa com diferentes grupos sanguíneos é mínima, e casos de correntes graves são extremamente raros.

Previous Post Next Post

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply

6 + 1 =